Dedicada à proteção do meio ambiental global.
Como empresa responsável, a CS é dedicada à proteção dos recursos naturais e do meio ambiente global.

Este compromisso, que vai além do mero cumprimento da legislação aplicável, implica a utilização de práticas adequadas à sua implementação em todas as decisões da organização.
Ambiente e sustentabilidade
Na sua atividade, a CS mantém um comportamento ambientalmente correto, gerindo-se pelo princípio do desenvolvimento sustentável, adotando medidas que estimulem também a consciência ambiental dos seus colaboradores e parceiros. Na exploração dos barreiros, no fabrico de telhas e acessórios, no desenvolvimento de novos produtos ou de novas unidades de produção, este comportamento traduz-se essencialmente em três vetores:
Porque a atividade da CS começa na floresta, é aqui que se inicia o compromisso com a sustentabilidade. A CS tem consciência de que a gestão deste valioso recurso só pode ser bem-sucedida numa lógica de longo prazo. Por interagir diariamente com os ecossistemas, é importante minimizar e controlar as alterações neles provocados.

Assim, todos os barreiros em fim de exploração são alvo de reabilitação, através de um processo de enchimento com materiais inertes e uma camada superficial de terra vegetal, seguido da reflorestação com a variedade de espécies vegetais com interesse encontradas antes da exploração, contribuindo para a conservação da biodiversidade.

Em alguns casos, são criados lagos que acolhem algumas espécies animais que os adotam como seu novo lar.
Apostando em tecnologias mais eficientes para minimizar a poluição resultante da sua atividade, a CS, atua ao longo de todo o ciclo produtivo, otimizando:
  • > Consumos de Matéria-prima, concebendo telhas mais leves, sem diminuir a sua resistência mecânica e a sua estanqueidade;
  • > Consumos de Energia, utilizando sistemas de combustão mais eficientes, melhorando o isolamento de fornos, secadores e condutas, e recorrendo a processos de recuperação energética e de produção de energia por co-geração;
  • > Consumos de Água, utilizando circuitos fechados em todos os sistemas de refrigeração, e reutilizando as águas de laboração na preparação de pastas;
  • > Emissões de CO2 e de outros poluentes gasosos, utilizando gás natural como combustível em todos os fornos e secadores, instalando filtros em todos os fornos, selecionando argilas com baixo teor de flúor e controlando o seu teor de matéria orgânica;
  • > Emissões de Poeiras, armazenando as matérias-primas e executando as operações de moagem, mistura e transporte em zonas fechadas, e instalando sistemas eficientes de despoeiramento nas linhas de preparação de pastas e de engobagem;
  • > Gestão de Resíduos, procedendo à recolha e à identificação seletiva do seu destino final. Os cacos verdes e secos, bem como as poeiras retidas nos sistemas de filtragem, são reintroduzidos no processo produtivo, e os cacos cozidos são utilizados na recuperação dos barreiros.
A telha cerâmica CS pode ser integrada na paisagem mantendo o valor histórico do património edificado e ao mesmo tempo assegurar conforto, estética, sustentabilidade e poupança de energia. Sendo incombustível, em caso de incêndio não liberta para a atmosfera quaisquer fumos ou gases tóxicos, contribuindo assim para a manutenção da qualidade do ar.
Apesar de utilizar quantidades elevadas de energia na sua produção, o balanço energético da telha cerâmica é reduzido quando comparado com outros materiais de cobertura, se tivermos em conta a sua elevadíssima durabilidade.
Quando da sua substituição, os resíduos são materiais 100% inertes, sem quaisquer riscos de contaminação dos solos, podendo ser utilizados em aterros.